Nieman Foundation at Harvard
HOME
          
LATEST STORY
Do countries with better-funded public media also have healthier democracies? Of course they do
ABOUT                    SUBSCRIBE
July 25, 2017, 9 a.m.
Audience & Social
LINK: www.wochit.com  ➚   |   Posted by: Christine Schmidt   |   July 25, 2017

Apenas 1% dos vídeos postados no Facebook tornam-se virais. As chances aumentam se o vídeo for quadrado (ao invés de horizontal ou vertical), permitir várias possibilidades de engajamento (e não apenas “curtidas”) e/ou for feito para pessoas que falam espanhol. A descoberta é da companhia , que produz vídeos para redes sociais.

A empresa analisou mais de 5.000 vídeos divulgados em redes sociais por mais de 100 publishers de março a maio de 2017. Os resultados deste período foram, então, comparados aos de dezembro de 2016 a fevereiro de 2017.

A Wochit usa inteligências artificiais para criar e ajudar a distribuir vídeos curtos sobre “trending topics” para diversas empresas, incluindo Time Inc., Gannet e Der Spiegel. (No ano passado, John Herrman, do New York Times, comparou a Wochit com a concorrente Wibbitz). Este estudo é baseado no conteúdo de video que foi produzido e apresentado para os clientes da empresa.

— Mais vídeos, mais dinheiro: mais cedo neste ano, 75,95% dos publishers que usam os serviços da Wochit disseram que planejaram impulsionar vídeos como uma estratégia para aumentar o engajamento e a receita. A análise descobriu que há uma forte correlação entre o número de vídeos postados em uma página no Facebook e o número total de páginas vistas.

— Vídeos fortes evocam sentimentos fortes: visualizações, comentários e compartilhamentos estão crescendo de 20% a 30% por vídeo em média, mas as curtidas estão, de fato, diminuindo. Pessoas reagiram –responderam com ‘Amei’, ‘Haha’, ‘Uou’, ‘Triste’ ou ‘Grr’,– quase 40% mais de março a maio de 2017 do que de dezembro de 2016 a fevereiro de 2017. De acordo com os números do Wochit, as curtidas diminuíram quase 17%.

— Ser um quadrado não é mais uma coisa ruim: quem precisa de uma moldura vertical ou horizontal quando se pode usar um corte quadrado, que ocupa até 78% mais “espaço no feed [de celulares]?” Em média, as visualizações de vídeos quadrados aumentaram 136,6% em relação aos vídeos horizontais. A quantidade de compartilhamentos, curtidas e comentários também aumentou. A maioria dos vídeos ainda é publicada em tomadas horizontais, apesar de o número de vídeos quadrados ter aumentado cerca de 10 pontos percentuais, para 39,8%.

— A elite de 1%: a empresa define a “viralização” de um post como atingir no mínimo um milhão de visualizações. E o número de vídeos em seu arsenal que atingiu essa marca é consistente no conjunto analisado: 1,1%. É considerado “a maior parte dos engajamentos totais, recebendo 43,2% do total de visualizações e 63,98% do total de compartilhamentos“.

Dime más: os únicos países que visualizam e/ou compartilham vídeos mais que os Estados Unidos são a Espanha e o México.

Translation by Poder360. This article was originally published in English here.

Show tags Show comments / Leave a comment
 
Join the 60,000 who get the freshest future-of-journalism news in our daily email.
Do countries with better-funded public media also have healthier democracies? Of course they do
But the direction of causality is tricky. Do a democracy’s flaws lead it to starve public media, or does starving public media lead to a democracy’s flaws?
The Atlantic spent two years studying what readers and listeners need. Here’s what they found
“We think a good deal about appropriate moments to prompt a reader to pursue a different story or a different topic altogether.”
Axios launches a premium subscription product aimed at the “dealmakers” among us
After a two-week free trial, Axios Pro costs $600/year for one newsletter or $1,800/year for all Pro newsletters. (There’s no monthly option.)